BAHIA: Número de meninas entre 11 e 13 anos imunizadas contra HPV ainda é baixo no estado

Apenas 37% das meninas entre 11 e 13 anos tomaram segunda dose da vacina contra HPV, na Bahia

Salvar imagem

REPÓRTER: Somente 37 por cento das meninas de 11 a 13 anos, da Bahia, tomaram a segunda dose da vacina contra o vírus do HPV – principal causador do câncer do colo do útero. O índice, representa mais de 140 mil jovens do estado, número bem abaixo da meta proposta pelo ministério da Saúde. A agente de saúde da cidade de Ituberá, no sul baiano, Izabel Costa, já levou a filha para se proteger contra o HPV. Ela chama as mães do estado a levarem as jovens para a imunização.
 
SONORA: agente de saúde – Izabel Costa
 
“Então, quando eu ouvi falar na vacina do HPV, eu tenho uma filha nessa idade, já corri logo para dar na minha filha por medo, também, e a importância que é essa vacina né? Então, por isso que eu quis dar na minha filha. E incentivar as outras mães que também tem filhas, meninas dessa idade a também vacinar.”
 
REPÓRTER: A meta do ministério da Saúde é de vacinar pelo menos 80 por cento das meninas de 11 a 13 anos, do Brasil. Os pais do estado baiano, que ainda não levaram as filhas para receber a segunda dose da vacina contra o vírus HPV, devem procurar rapidamente por um posto de saúde. Isso porque, apenas as meninas que tomam as três doses da vacina ficam 100 por cento protegidas contra o câncer do colo do útero. A doença mata 14 mulheres por dia no Brasil e duzentas e 70 mil no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde. Neste ano, o Instituto Nacional do Câncer, estima o surgimento de 15 mil novos casos no Brasil – mil 120 apenas no estado baiano. Para a coordenadora do programa estadual de imunização da Bahia, Fátima Guirra, é importante que essas adolescentes procurem um dos postos de saúde mais próximo e se vacinem.
 
SONORA: coordenadora do programa estadual de imunização da Bahia – Fátima Guirra
 
“Então, é importante que todas as crianças que ainda não tiveram a oportunidade de receber a primeira ou a segunda dose da vacina contra o HPV busque os 417 municípios da Bahia e qualquer unidade básica de saúde, porque tem disponível essa vacina essa vacina quadrivalente para prevenção do câncer de colo do útero e também das lesões anus-genitais”.
 
REPÓRTER: O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, reforça aos pais e meninas de 11 a 13 anos que não existem motivos para terem medo. Ele garante que, a vacina é segura.
 
SONORA: secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde – Jarbas Barbosa
 
“Vale lembrar que essa vacina já é usada em mais de 100 países do mundo. Essa vacina tem mais de 50 milhões de doses aplicadas na Europa, nos Estados Unidos. É recomendada, essa vacina, porque é uma vacina eficaz para prevenir o câncer do colo do útero e é uma vacina segura. Nós não tivemos nenhuma reação grave associada a essa vacina no Brasil, como não houve em nenhum lugar do mundo. Há reações adversas, como em qualquer produto injetável, reações alérgicas, reações locais. Isso é infinitamente menor que os grandes benefícios que essa vacina pode produzir”.
 
REPÓRTER: Segundo dados do Ministério da Saúde, a doença mata 14 mulheres por dia no Brasil. As meninas entre 11 e 13 anos que não tomaram a segunda dose da vacina contra o HPV, para evitar o câncer do colo do útero, precisam procurar uma das 35 mil Unidades Básicas de Saúde, em todo o país. A vacina é totalmente de graça.
  
Reportagem, Victor Maciel

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.