ACRE: Colégios vão ter ações contra o Aedes aegypti durante todo ano letivo

Alunos vão agir como multiplicadores de informação contra o mosquito

 

Salvar imagem

REPÓRTER: A partir desta segunda-feira, o Acre começa a agir em todos os colégios estaduais no combate ao Aedes aegypti. O plano é que todos os alunos das mais de 1.000 escolas do estado possam participar de forma ativa na guerra contra o mosquito que é o transmissor de doenças como a dengue, a febre chikungunya e o zika vírus. Até agora, na primeira fase de ação, 10 escolas e 2.500 alunos já foram mobilizados na capital. Nas próximas semanas os alunos do ensino médio vão receber visitas das Forças Armadas. Depois, vão agir como agentes multiplicadores de informações contra o mosquito.  O Secretário Estadual de Educação do Acre, Marco Brandão, explica que as ações vão continuar durante todo o ano letivo. 

SONORA: Marco Brandão, Secretário de Educação do Acre

Vai ser um trabalho continuado. Não é um trabalho que vai ficar uma semana ou duas semanas. É um trabalho que vai ser a longo prazo e que vai fazer parte do cotidiano da escola. Então aqui no Acre o trabalho é um trabalho articulado e que já foi feito em todas as escolas municipais e agora essa semana está sendo feito em todas as escolas estaduais também.”

REPÓRTER: A mobilização das escolas de todo Brasil na luta contra o mosquito começou na última sexta-feira, no Dia Nacional de Mobilização da Educação. No Acre, a ação foi marcada pela presença do vice-presidente da República, Michel Temer. Ele participou do evento na Escola José Sales, que fica no bairro Universitário da cidade de Rio Branco. De acordo com monitoramento feito pelo Ministério da Saúde, o Acre já registrou, até agora, 22 casos de suspeita de microcefalia, que é uma das doenças que possivelmente é causada pelo zika vírus. O Ministro da Educação, Aloizio Mercadante, acredita que a união de forças entre educação e saúde será uma potente arma no combate ao mosquito.

SONORA:  Aloizio Mercadante, Ministro da Educação

Eu acho que nós fizemos a maior aliança. Esse pacto de combate ao Aedes aegypti foi a maior aliança que já se fez na educação. Todas as entidades estudantis estão envolvidas, de docentes, todas as mantenedoras das Universidades.”

 REPORTER: A forma mais eficaz de combater todas as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti é evitar que o mosquito nasça. O Ministro da Saúde, Marcelo Castro, reforçou a importância da participação de toda a sociedade nessa guerra. A recomendação é que 15 minutos sejam gastos por semana, para que todos os criadouros de larvas sejam destruídos. O Ministro chama a atenção para a necessidade de uma rotina de combate ao mosquito.

SONORA: Marcelo Castro, Ministro da Saúde

O que a gente precisa ter a compreensão é a de que é um trabalho que é duradouro, que nós não vamos eliminar o mosquito de uma hora para outra e que é preciso ser uma ação continuada, rotineira, sistemática.”

REPÓRTER: Mais informações sobre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti e formas de prevenção podem ser encontradas na página da internet: www.combateaedes.saude.gov.br

Reportagem, Bruna Goularte

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.