Uma das iniciativas apresentadas foi o projeto Casa Social, que visa acolher a população mais vulnerável afetada por desastres naturais. Foto: Divulgação/MDR
Uma das iniciativas apresentadas foi o projeto Casa Social, que visa acolher a população mais vulnerável afetada por desastres naturais. Foto: Divulgação/MDR

Defesa Civil Nacional apresenta projetos do Brasil no Fórum Global Understanding Risk

Foram abordados temas como o Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil e os projetos Sabo e Casa Social


Nesta quinta-feira (1), penúltimo dia do Understanding Risk Global Forum (UR22), evento que reúne, em Florianópolis (SC), uma comunidade global de especialistas e profissionais da área de identificação de riscos de desastres, o Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), por meio da Defesa Civil Nacional, apresentou o Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil e os projetos Casa Social e Sabo. O fórum termina nesta sexta-feira (2).

O coordenador-geral de articulação da Defesa Civil Nacional, Reinaldo Estelles, apresentou e explicou, em sua palestra no evento, o Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil.

“Apresentamos o modelo e as entrevistas feitas com agentes das defesas civis municipais e estaduais e com os próprios afetados, com foco no Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil. É importante fazer isso no fórum para que as defesas civis entendam em que pé está o Plano. É uma questão de transparência e de ouvir o que o setor de gestão de riscos tem a falar”, destaca Estelles.

Outra importante apresentação feita no UR22 foi sobre o Projeto de Aprimoramento da Capacidade Técnica em Medidas Estruturais contra Movimentos Gravitacionais de Massa com Foco na Construção de Cidades Resilientes, chamado de Projeto Sabo.

O projeto consiste na avaliação do movimento de massas, com foco na ocorrência de fluxo de detritos, que tem maior poder de destruição que um deslizamento comum. Além disso, propõe a instalação de barreiras de contenção para canalizar o fluxo de encostas e reduzir a área de alastramento do desastre.

“Pretendemos adaptar à realidade brasileira a experiência do Japão, o conhecimento, a tecnologia e as técnicas. Vamos construir um manual de diretrizes para a elaboração de projetos de engenharia. A partir desse manual, vamos fazer os projetos de engenharia para o Hospital São Lucas, em Nova Friburgo, e para o Córrego do Príncipe, em Teresópolis”, informa o coordenador-geral de Prevenção e Programas Estratégicos da Defesa Civil Nacional, Wolnei Wolff Barreiros.

Casa Social

Também nesta quinta-feira, o coordenador de Estudos Integrados do MDR, Rafael Machado, apresentou o projeto Casa Social, que visa acolher a população mais vulnerável afetada por desastres naturais. Trata-se de um modelo conceitual de uma casa com montagem modular, simplificada, de fácil transporte e que atende às premissas de habitabilidade e sustentabilidade.

“O projeto surgiu da nossa percepção nas atuações pós-desastre. As populações mais vulneráveis são afetadas de forma mais severa. Percebemos que o tempo entre a data em que ocorre o desastre e a viabilização da moradia definitiva é muito longo. A população afetada fica muito desamparada. Sensibilizados com isso, alguns técnicos da Defesa Civil Nacional se reuniram e pensamos em um modelo conceitual de habitação social”, explica Machado.

O projeto Casa Social foi feito em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud). Foram contratados técnicos de diferentes setores, inclusive de áreas como psicologia, para transformar esse modelo conceitual em um modelo de mercado, de modo que a indústria nacional possa fabricar os componentes dessa casa social a partir de 2023, com a montagem do protótipo real, atendendo a todos os requisitos exigidos pelas normas de habitabilidade.

O UR22

O Fórum Global Understanding Risk 2022 chegou ao Brasil pela primeira vez. De 28 de novembro a 2 de dezembro, a conferência apresenta os mais recentes conhecimentos e inovações na área de gestão de risco de desastres, abrangendo tópicos que vão desde sistemas de alerta precoce até resiliência urbana, comunicação e financiamento do risco. O tema deste ano, "Navegando as ondas do risco", aborda os riscos climáticos e de desastres em um mundo de perigos múltiplos.

O evento é organizado pelo Mecanismo Global para Redução e Recuperação de Desastres (GFDRR), Banco Mundial e Prefeitura de Florianópolis, com apoio do MDR, do Google, da Nasa e de vários outros organismos nacionais e internacionais. O fórum ocorre simultaneamente, de forma on-line, na Nova Zelândia, Canadá, Níger e Reino Unido.

Cadastre-se para receber releases pelo WhatsApp

Para receber mais notícias e ações do MDR, jornalistas e blogueiros interessados podem se cadastrar nos grupos de WhatsApp. Um deles tem enfoque em notícias de abrangência nacional e, nos demais, serão compartilhadas informações exclusivas de cada estado. Clique neste link para acessar os grupos.

Caso deseje receber apenas informações relacionadas à proteção e defesa civil, cadastre-se neste link.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.

LOC: A Defesa Civil Nacional apresentou, nesta quinta-feira, 1º de dezembro, no fórum internacional Understanding Risk, o Plano Nacional de Proteção e Defesa Civil e os projetos Casa Social e Sabo. O evento está sendo realizado em Florianópolis, Santa Catarina, até esta sexta-feira.

O evento reúne uma comunidade global de profissionais e especialistas na identificação de riscos de desastres, especificamente na avaliação e na comunicação de possíveis ocorrências. A conferência tem apoio do Ministério do Desenvolvimento Regional, o MDR.

Reinaldo Estelles, coordenador-geral de articulação da Defesa Civil Nacional, comenta a participação do órgão no evento.

TEC/SONORA: Reinaldo Estelles

“Apresentamos o modelo e as entrevistas feitas com agentes das defesas civis municipais e estaduais e com os próprios afetados, com foco no Sistema Nacional de Proteção e Defesa Civil.”

LOC: Durante o evento nesta quinta-feira, também foi apresentado o projeto Casa Social, que visa acolher a população mais vulnerável afetada por desastres naturais.

Trata-se de um modelo conceitual de uma casa com montagem modular, simplificada, de fácil transporte e que atende às premissas de habitabilidade e sustentabilidade. 

Rafael Machado, coordenador de Estudos Integrados do MDR, explica o desenvolvimento do projeto.

TEC/SONORA: Rafael Machado

“O projeto surgiu da nossa percepção nas atuações pós-desastre. As populações mais vulneráveis são afetadas de forma mais severa.”
 
LOC: O projeto Casa Social foi feito em parceria com o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento, o Pnud. É um modelo conceitual de casa modular que deve ir para o mercado em 2023.

Para mais informações sobre as ações do Governo Federal em proteção e defesa civil, acesse mdr.gov.br.

Reportagem, Gabriel Navajas