VIOLÊNCIA: Fiança para soltar empresários é de 200 salários mínimos

suspeitos em participação em crimes contra o meio ambiente e contra a administração pública, podem ser soltos e responder o processo em liberdade, após pagar fiança no valor de 200 salários mínimos, que equivale a R$157.600,00.

Salvar imagem

REPÓRTER: Rodrigo Beachini de Andrade e Gelson Gomes de Andrade, presos no último dia 02 de julho, por suspeita em participação em crimes contra o meio ambiente e contra a administração pública, podem ser soltos e responder o processo em liberdade, após pagar fiança no valor de 200 salários mínimos, que equivale a R$157.600,00. No total, dez pessoas foram presas na operação policial realizada em Belém e Tucurui, no sudeste paraense. O juiz Flavio Sanches Leão, da Vara de Inquéritos e Medidas Cautelares, ao arbitrar a fiança, se baseou na legislação penal pertinente, que prevê o valor entre 10 a 200 salários mínimos, além da natureza da infração, as condições pessoais de fortuna. Rodrigo Beachini declarou patrimônio de um milhão de reais à Refeita Federal. Os investigados estariam envolvidos em fraudes milionárias relacionadas a desmatamento de cerca de 400 mil metros cúbicos de madeira, lavagem de dinheiro e formação de organização criminosa.  As investigações começaram em fevereiro deste ano e os valores, segundo a polícia, seriam revertidos a projetos de manejo florestal em áreas de floresta nativa.
 

Com informações da coordenadoria de imprensa do TJPA, reportagem, Storni Jr.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.