TRABALHO: Tráfico de pessoas só será combatido com união de esforços, diz conselheiro

Salvar imagem

 

REPÓRTER:  O ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST) e conselheiro do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Lélio Bentes, afirmou no último dia 23, sexta-feira, em São Paulo, que o tráfico de pessoas só será combatido com a união de esforços e uma articulação consistente. A declaração do conselheiro foi durante o I Seminário sobre Tráfico de Pessoas e Trabalho Escravo, promovido pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP). O conselheiro disse que o tráfico de pessoas é, atualmente, a terceira forma de crime mais rentável no mundo, perdendo apenas para o tráfico de armas e de drogas. Ele destacou três pontos importantes para o combate ao problema: a prevenção, por meio do fortalecimento da fiscalização, informação e educação; a qualificação da ação repressiva dos órgãos estatais; e a preservação e fortalecimento do marco legal.    Durante o seminário também foi divulgado que a Organização Internacional do Trabalho (OIT) estima que cerca de 21 milhões de pessoas em todo o mundo sejam vítimas das diferentes formas de trabalho forçado, que incluem exploração sexual, trabalho para pagamento de dívida e trabalho escravo, entre outras.   
 
Com informações do CNJ, reportagem, Storni Jr.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.