TAPEROÁ (PB): Vacina contra HPV não prejudica saúde das adolescentes. Meninas de 11 a 13 anos devem tomar a segunda dose

Município precisa aumentar aplicação da segunda dose da vacina contra HPV

Salvar imagem

REPÓRTER: Com a intenção de imunizar a próxima geração de mulheres contra o câncer do colo do útero no Brasil, os postos de saúde de todo país estão vacinando meninas entre 11 a 13 anos com a segunda dose da vacina contra o HPV, vírus que causa a doença. Aqui em Taperoá, apenas 32 por cento das adolescentes nessa faixa etário foram imunizadas. Pesquisa feita pelo Instituto Nacional do Câncer indica que quase 300 mulheres devem descobrir que estão com câncer do colo do útero na Paraíba durante o ano de 2015. A comerciante, Edileuza Campos, mora em Taperoá, e lembra como convenceu a filha, Thainá, de 12 anos a tomar a vacina.
 
SONORA: Edileuza Campos, comerciante
 
“Toda criança tem medo né? Quando fala o nome vacina toda criança se assusta. Mas eu conversei com ela, falei o que poderia se bom pra ela, né? As causas, a prevenção da vacina. Tanta gente gostaria de tomar essa vacina e elas agora estão tendo essa oportunidade grátis. Muitos pais não concordam com isso, mas eu sou de total acordo que se é para o bem da minha filha, então que ela tome a vacina.”
 
REPÓRTER: A meta do ministério da Saúde é vacinar no mínimo 75 por cento das meninas de 11 a 13 anos anos. O secretário de ciência, tecnologia e insumos estratégicos do ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, do ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, destaca a importância da imunização. Ele lembra que a vacina é segura e faz um alerta para o benefício da prevenção contra o câncer do colo do útero.
 
SONORA: secretário de ciência, tecnologia e insumos estratégicos do ministério da Saúde, Jarbas Barbosa
 
“A análise dessas mais de seis milhões de doses aplicadas até o momento demonstram claramente que a vacina no Brasil segue o padrão internacional de segurança sem nenhum tipo de evento adverso inesperado, desconhecido ou grave, que não possa ser explicado por outra causa ter sido observado em nosso país. Então a vacina é absolutamente segura, recomendada pela organização de saúde, e precisamos lembrar que antes de ser oferecida gratuitamente pelo SUS, uma menina para se proteger contra o HPV a família tinha que gastar cerca de mil e quinhentos reais.”
 
REPÓRTER: A vacina contra o HPV está disponível aqui no município de Taperoá durante todo ano, basta procurar um posto de saúde mais próximo com o cartão de vacina em mãos. As unidades funcionam das de oito da manhã ao meio dia, e de uma às quatro da tarde.
 

Reportagem, Rodrigo Santos

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.