SIMPLÍCIO MENDES (PI): Com dois por cento das meninas vacinadas, município está longe da meta de vacinação, que é de 75%

Salvar imagem

REPÓRTER: O município de Simplício Mendes, no Piauí, de 12 mil habitantes, não atingiu a meta de vacinação contra o vírus HPV. A segunda dose teve baixa procura e somente dois por cento das adolescentes de 11 a 13 anos tomaram a vacina. O número representa apenas nove meninas da região imunizadas contra o vírus causador do câncer do colo de útero. O Instituto Nacional do Câncer estima cerca de 400 novos casos da doença no estado do Piauí. O diretor de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, explica quando e como deve ser feita a imunização.
 
SONORA: diretor de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde – Cláudio Maierovitch
 
“A imunização ela é dada por uma vacina oferecida em três doses, e as três doses são importantes. Então ela é iniciada em meninas aos onze anos de idade. Nós estamos iniciando com meninas de onze a treze anos de idade justamente para alcançar aquelas que já completaram onze anos há mais tempo. Então neste momento da introdução da vacina, isso é um calendário um pouco estendido, porque no futuro nós manteremos apenas a primeira dose aos onze anos de idade. Depois de tomar a primeira dose, ela recebe uma segunda dose de reforço. A dose única ela não é eficaz para produzir a proteção contra o HPV, por isso as duas doses, e uma terceira dose cinco anos depois.”
 
REPÓRTER: A meta do ministério da Saúde é vacinar 75% das jovens da região piauiense. A vacina é gratuita, segura e está disponível em todos os postos de saúde do Brasil. O secretário de vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, reforça que a vacina é segura, mas podem ocorrer efeitos colaterais sem gravidade.
 
SONORA: Secretário de vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa.
 
“Vamos lembrar que essa vacina já é usada em mais de cem países do mundo, essa vacina tem mais de 50 milhões de doses aplicadas na Europa, nos Estados Unidos. É recomendada essa vacina porque é uma vacina eficaz para prevenir o câncer de colo de útero e é uma vacina segura. Nós não tivemos nenhuma reação grave associada a essa vacina no Brasil, como não houve em nenhum lugar do mundo. Há reações adversas, como em qualquer produto injetável, reações alérgicas, reações locais. Isso é infinitamente menor do que os grandes benefícios que essa vacina pode produzir”.
 
REPÓRTER: Os pais de Simplício Mendes devem levar as adolescentes de 11 a 13 anos para tomar a segunda dose da vacina contra o HPV, que previne o câncer do colo de útero.  A imunização pode ser feita em um dos três postos de saúde ou em uma das quatro unidades básicas da cidade. A vacina vai ser disponibilizada para as meninas da região de oito da manhã às cinco da tarde.
 
Reportagem, Pedro Paulo Borges

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.