SERVIÇO: Juizados Especiais e Nupemec firmam parceria

A Coordenadoria dos Juizados Especiais e o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, O NUPEMEC, firmaram parceria, nesta quinta-feira, dia 12, com o objetivo de consolidar a política de pacificação social no Judiciário. 

Salvar imagem

Tempo de áudio –

 
LOC/REPÓRTER: O mecânico de automóvel Paulo Roberto procurou um Centro Judiciário de Solução de Conflito para resolver, de modo amigável, sua separação.  
 
TEC/SONORA: Mecânico Paulo Roberto.
 
“A oportunidade que eu estou tendo aqui de estar dizendo para ela o que eu sinto, e ela dizendo o que ela sente, pra que a gente possa estar construindo uma estrutura maior, mesmo separado, pra ta lindando com essa questão dos filhos, pra que haja o desenrolar disso tudo respeitosamente”
 
LOC/REPÓRTER: A Coordenadoria dos Juizados Especiais e o Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, O NUPEMEC, firmaram parceria, nesta quinta-feira, dia 12, com o objetivo de consolidar a política de pacificação social no Judiciário. Uma das ações fruto da parceria será a realização de um seminário para divulgar e conscientizar sobre a importância da política de conciliação. A coordenadora do Núcleo Permanente de Métodos Consensuais de Solução de Conflitos, o NUPEMEC, do Tribunal de Justiça do Pará, desembargadora Dahil Paraense, ressalta que os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania, os Cejusc, estão sempre prontos a receber qualquer cidadão.
 
TEC/SONORA: Desembargadora Dahil Paraense.
 
Qualquer cidadão que quiser antecipar o litígio que resolva mais rápido, ele vai, procura o advogado dele ou vai lá no Cejusc e a gente tenta a conciliação e a mediação, um acidente de carro, briga de vizinho, qualquer situação que seja passível de conciliação e que eles aceitem.”
 
LOC/REPÓRTER: Os Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania, Cejusc, são coordenados pelo NUPEMEC que foi criado pelo Conselho Nacional de Justiça para promover a política de pacificação social a fim de diminuir o número de processos no Brasil.É um serviço célere, além de totalmente gratuito, ressalta a desembargadora Dahil Paraense.
 
TEC/SONORA: Desembargadora Dahil Paraense.
 
É um serviço célere, democrático e totalmente grátis. Qualquer pessoa, qualquer cidadão com qualquer pendência pode procurar o Cejusc durante todo o ano”.
 
LOC/REPÓRTER: Ficou definido que os conciliadores voluntários que serão  selecionados e capacitados pelo Nupemec para atuarem nos Centros Judiciários de Solução de Conflitos e Cidadania (Cejusc) precisam cumprir um estágio, e, com a parceria, esse estágio será realizado nos Juizados Especiais que tem a frente a  desembargadora Vânia Bitar.
 
Reportagem, Storni Jr. 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.