RONDÔNIA: Escolas entram no combate ao Aedes no estado

A ideia é promover mutirões de limpeza dentro das escolas e conscientizar os alunos para que as ações alcancem toda a comunidade vizinha.

Salvar imagem

REPÓRTER: Alunos, professores e diretores das escolas de Rondônia entraram na guerra contra o Aedes Aegypti. O mosquito é transmissor da dengue, chikungunya e do vírus Zika. Este último, pode estar diretamente ligado a centenas de casos de microcefalia no mundo. Ao todo, os 52 municípios do estado vão participar do combate com metas criadas por um grupo de 18 coordenadores e diretores das escolas. De acordo com a Secretaria de Educação de Rondônia, a ideia é promover mutirões de limpeza dentro das escolas e conscientizar os alunos para que as ações alcancem toda a comunidade vizinha.  O ministro da Educação, Aluizio Mercadante, lembra que, em toda a rede educacional do país existem mais de 60 milhões de alunos. Ele acredita que, as ações de combate ao Aedes realizadas nas escolas conseguem ultrapassar os muros das instituições e chegar às casas de toda comunidade.
 
SONORA: ministro da Educação, Aloizio Mercadante
 
“Se você avaliar que nós somos 60 milhões de brasileiros e brasileiras organizados na educação, estudantes da rede pública e particular. A escola é um espaço de informação, de discurso de reflexão. Então o melhor espaço que o Brasil tem para mobilizar a sociedade brasileira dentro de suas casas, esses estudantes indo para dentro de suas residências, professores, servidores de educação, para combater o mosquito Aedes Aegypti”.
 
REPÓRTER: O Ministério da Saúde recomenda que a população reserve 15 minutos por semana para combater o Aedes Aegypti. O Secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antônio Nardi, reforça que, para combater o mosquito é preciso ficar atento aos recipientes que acumulam água.
 
SONORA: secretário de vigilância em saúde, Antônio Nardi
 
 
Reportagem, Marquezan Araújo
 “O mais efetivo nesse momento é a eliminação de todo e qualquer recipiente que posso juntar água parada e proliferar o mosquito Aede Aegypti. Não deixarem expostos copinhos, copos, garrafas, latas, tampas de garrafa. Verifiquem a vedação da caixa d’água, desemtupam as calhas.”
 

 

REPÓRTER: Além das escolas de ensino fundamental e médio, as universidades Federais, órgãos públicos federais, estaduais e municipais, Forças Armadas, entidades religiosas, organizações não governamentais e lideranças comunitárias também estão participando do combate ao Aedes, mosquito transmissor da dengue, chikungunya e zika. Saiba mais na internet, no endereço combateaedes.saude.gov.br

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.