RIO DE JANEIRO com baixos índices de infecção por Zika em gestantes, preocupação é atenção básica a casos de microcefalia

Salvar imagem

...

LOC: O Rio de Janeiro registrou um total de 142 casos de microcefalia em bebês, provavelmente associadas à infecção por Zika vírus em gestantes. Os dados são de um levantamento feito pelo Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde do estado. O monitoramento começou em julho de 2015. De acordo com o subsecretário de Saúde Alexandre Chieppe o impacto da microcefalia ainda é preocupante.

TEC/SONORA: Alexandre Chieppe, subsecretário de Saúde.

“A gente viveu dois anos, os anos de 2015 e 2016 foram anos muito críticos no que diz respeito à ocorrência da Zika e a consequente onda epidêmica de microcefalia associada ao vírus Zika. Foi algo novo, que o Brasil na verdade conseguiu fazer essa associação entre a infecção pelo vírus e as infecções congênitas.”

 LOC: Chieppe explica que as estratégias de combate ao mosquito transmissor continuam sendo aplicadas no estado,  para prevenir mais casos de infecção pelo Zika vírus.

TEC/SONORA: Alexandre Chieppe, subsecretário de Saúde.

“Nós estamos seguindo as orientações da Sala de Comando Nacional, de intensificação das ações de visitas domiciliares. A gente vem mantendo contato permanente com o Governo Federal, a gente ainda está obviamente sob o impacto da epidemia de Zika e da ocorrência dos casos de microcefalia.”

LOC: Apesar do impacto inesperado, o subsecretário acredita que a situação em 2017 seja mais tranquila e que o foco agora será em manter uma qualidade de vida para os pacientes diagnosticados com microcefalia.

TEC/SONORA: Alexandre Chieppe, subsecretário de Saúde.

“Este ano o número de gestantes notificadas se aproxima do zero, consequentemente a gente não espera um aumento no número de casos de microcefalia. A grande preocupação em 2017 é o seguimento dessas crianças que nasceram nos anos anteriores. São crianças que precisam de um serviço de reabilitação, precisam de uma atenção especial. Então, o foco das equipes de atenção básica, tanto da Secretaria Estadual como das secretarias municipais é a gente garantir o acompanhamento adequado dessas doenças.”

LOC: Para saber mais sobre as doenças e formas de combater o mosquito, acesse o site saude.gov.br/combateaedes. Ministério da Saúde, Governo Federal.

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.