REFORMA TRABALHISTA: Votação no Senado vai terminar antes de recesso parlamentar

Entre as mudanças propostas na Reforma Trabalhista, está a possibilidade de dividir o períodos das férias

SalvarSalvar imagem

ÚLTIMAS SOBRE POLÍTICA


LOC.: As votações da Reforma Trabalhista vão ser concluídas no Senado antes do recesso parlamentar, que começa no dia 18 de julho. É que o Senado aprovou nesta terça-feira (4) um requerimento de urgência para a tramitação da proposta. Ficou definido que a Reforma será votada em Plenário já na semana que vem, no dia 11. Até lá, os senadores vão poder se manifestar sobre o projeto, graças a um acordo firmado entre o presidente da Casa, Eunício Oliveira, e os líderes partidários. Para o deputado Mandetta, do Democratas de Mato Grosso do Sul, a aprovação da Reforma no Senado é necessária, independentemente da crise política pela qual o país está passando

TEC./ SONORA:
deputado Mandetta (DEM – MS)
“As reformas são necessárias, elas precisam ser feitas e a população precisa ter essa agenda muito clara. A Trabalhista não é mudança de Constituição, não é mudança de princípios constitucionais, ela é a adequação das leis trabalhistas de 1946 a várias situações de trabalho que acontecem no dia de hoje e que como não têm nenhuma delimitação, elas precisam ser colocadas.”

LOC.: Entre as mudanças propostas na Reforma Trabalhista, está a possibilidade de dividir os 30 dias de férias em até três períodos. Além disso, o texto também propõe garantias ao trabalhador terceirizado e dá segurança para acordos coletivos firmados legitimamente entre empregados e empregadores. O deputado José Carlos Araújo, do PSD da Bahia, entende que a Reforma Trabalhista trará avanços para os brasileiros.

TEC./ SONORA: deputado José Carlos Araújo (PSD – BA)
“A Reforma Trabalhista é necessária, alguns pontos importantes foram aprovados porque se fala exatamente aquilo que já é prática do que aqui hoje já se faz. Ela está apenas legalizando o que já se faz na prática.”

LOC.: Já nesta quinta-feira (6), os senadores continuam a discussão do texto da Reforma, das 11 da manhã às duas horas da tarde. Na terça-feira da semana que vem (11), a discussão será com os líderes partidários, que vão encaminhar o projeto para votação.

Reportagem, Jalila Arabi.
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.