PIAUÍ (PI): Esperantina, Miguel Alves e Porto estão com vacinação contra HPV baixa

Meninas entre 11 e 13 anos devem ir aos postos de saúde para tomar segunda dose da vacina contra HPV

SalvarSalvar imagem

REPÓRTER: Os moradores dos municípios de Esperantina, Miguel Alves e Porto devem levar as adolescentes de 11 a 13 anos para tomar a vacina contra o vírus HPV. As três cidades que compõem a microrregião do Baixo Parnaíba Piauiense estão abaixo da meta do ministério da Saúde, que é vacinar 75 por cento das jovens de cada município. A cidade de Esperantina imunizou 20 por cento, Miguel Alves 16 por cento e Porto vacinou somente seis por cento das meninas. A ex-coordenadora Estadual de Imunização, do Piauí, Doralice Lopes, ressalta a importância da vacina e afirma que, ela é extremamente segura.
 
SONORA: ex-coordenadora Estadual de Imunização, do Piauí – Doralice Lopes
 
“É importante que os pais e as meninas entendam que essa vacina é extremamente segura e que o câncer do colo de útero, provocado por um dos grandes fatores o HPV, ele é a terceira causa de mortes das mulheres. É uma questão de saúde nacional então a gente precisa realmente garantir que essas meninas recebam primeira, segunda e terceira dose para que elas realmente estejam protegidas”.
 
REPÓRTER: Para garantir a eficácia da imunização, as jovens devem tomar as três doses da vacina contra o papiloma vírus. A segunda seis meses após a primeira e, a terceira cinco anos após a segunda dose. Para se vacinar, as meninas só precisam apresentar carteira de vacinação ou documento de identidade. A vacina é gratuita em qualquer unidade de saúde pública da região. O secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, do ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, ressalta que, antes da vacina ser oferecida pelo Sistema Único de Saúde, as famílias gastavam um alto valor para proteger as jovens.
 
SONORA: Secretário de Ciência, tecnologia e insumos estratégicos do ministério da Saúde, Jarbas Barbosa.
 
“A vacina é absolutamente segura, recomendada pela Organização Mundial de Saúde e precisamos lembrar que antes de ser oferecida gratuitamente pelo SUS, uma menina para se proteger contra o HPV, a família tinha que gastar cerca de mil e quinhentos reais. Agora é de graça. É uma vantagem tremenda para essas meninas, oferecidas pelo SUS, que as famílias precisam ter a consciência de garantir que essas meninas tenham seu direito a saúde plenamente garantido”.

REPÓRTER: O município de Luzilândia, que também faz parte da microrregião do Baixo Parnaíba Piauiense, conseguiu bater a meta e vacinou 90 por cento das adolescentes da cidade. O número representa seiscentas e 10 meninas protegidas do vírus HPV. Mas, as jovens dos municípios de Esperantina, Miguel Alves e Porto devem procurar a unidade de saúde mais próxima para tomar a dose contra o papiloma vírus. O atendimento nas cidades é feito de segunda a sexta-feira, de oito da manhã às cinco da tarde.

Reportagem, Pedro Paulo Borges

 

 

 

 

 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.