PAULISTANA (PI): Com 14 por cento de meninas vacinadas contra HPV, cidade está longe da meta do ministério da Saúde

Salvar imagem

REPÓRTER: O município de Paulistana, no Piauí, ainda não atingiu a meta de vacinação contra o vírus HPV, que previne o câncer do colo de útero. Somente 14 por cento das jovens de 11 a 13 anos foram vacinadas na segunda dose. O número que representa 84 meninas na região piauiense. A segunda etapa da imunização está disponível gratuitamente em todos os postos de saúde do Brasil. O diretor de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde, Cláudio Maierovitch, explica que a vacina é extremamente segura. 

SONORA: Diretor de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde – Cláudio Maierovitch
 
“A vacina contra o HPV ela não contém vírus, ela não contém bactérias. Ela é uma vacina que contém algumas moléculas, que são agrupadas por um procedimento de biologia, de engenharia genética, que são moléculas que também estão presentes no vírus, justamente para mostrar para o sistema imunológico das pessoas um pedacinho do vírus e ensiná-lo a reagir contra esse pedaço do vírus. Como a vacina não tem vírus e não tem bactérias ela não produz infecção, ela é uma vacina extremamente segura”.
 
REPÓRTER: As adolescentes que tomaram a primeira dose na rede privada podem completar as outras doses da vacinação na rede pública. Para se imunizar, as meninas devem apresentar a carteira de vacinação ou documento de identidade para tomar a segunda dose da vacina. O secretário de vigilância e saúde do Ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, alerta as famílias para a taxa de mortalidade por câncer de colo de útero e afirma que a geração que está sendo vacinada pode ficar livre de mortes pela doença.
 
SONORA: Jarbas Barbosa, secretário de vigilância e saúde do Ministério da Saúde
 
“As famílias não podem perder essa oportunidade e não devem dar ouvidos a boatos de redes sociais, a boatos que não tem nem comprovação no Brasil e nem em qualquer lugar do mundo. É muito importante que as meninas que tomaram a primeira dose tomem a segunda. A proteção só está completa quando ela toma a segunda dose e cinco anos depois ela toma o reforço e as meninas de nove a 11 anos, em 2015, começar a vacinar para que a gente tenha a mortalidade por câncer de colo de útero reduzida de maneira drástica em nosso país”
 
REPÓRTER: A população de Paulistana, no Piauí, pode procurar a vacina contra o HPV em uma das seis unidades de saúde da região. A vacina é gratuita, segura e previne contra o câncer do colo de útero. O atendimento é feito de segunda a sexta-feira de oito da manhã até às cinco da tarde.
 
Reportagem, Pedro Paulo Borges

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.