PARÁ: Justiça determina retorno às aulas

Os desembargadores das Câmaras Cíveis Reunidas do Tribunal de Justiça do Pará decidiram, à unanimidade, manter a liminar concedida anteriormente pela desembargadora Gleide Moura, assim como a determinação de retorno dos professores às salas de aula em todo o Estado.

Salvar imagem

REPÓRTER: Os desembargadores das Câmaras Cíveis Reunidas do Tribunal de Justiça do Pará decidiram, à unanimidade, manter a liminar concedida anteriormente pela desembargadora Gleide Moura, assim como a determinação de retorno dos professores às salas de aula em todo o Estado. A justiça determinou ainda a aplicação de multas, em caso de descumprimento. Os desembargadores integrantes das Câmaras Cíveis apreciaram os recursos ingressados pela Procuradoria Geral do Estado e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Pará que requeriam a modificação da decisão da magistrada. Conforme a liminar concedida, todos os professores em greve no Pará devem retonar às aulas. Está proibida a interdição de ruas pelos grevistas ou outros bens públicos, assim como de impedir que outros servidores da educação desenvolvam suas atividades normais. A decisão da justiça prevê também que o Sintepp cumpra em 24 horas a decisão, sob pena de multa de vinte mil reais, sendo estabelecida  multa diária de cinco mil reais em caso de descumprimento de algumas das determinações. Os professores da educação pública estão em regime de greve desde o dia 25 de março deste ano, e reivindicam as lotações dos profissionais da educação na forma da legislação vigente a retomada das discussões sobre o Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações, além de publicação de cronograma das obras das 29 escolas que estão em reforma.

 
Com informações da coordenadoria de imprensa do TJPA, reportagem, Storni Jr. 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.