PADRINHOS: Crianças e adolescentes buscam padrinhos no Pará

Neste final de semana, dias 25 e 26, a Coordenadoria Estadual de Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Pará  estará no Parque Shopping, em Belém, de dez da manhã às dez da noite para estimular a adesão da população ao programa “Conta Comigo”.

SalvarSalvar imagem

REPÓRTER: Adotar é um ato de amor, ressalta a diretora do Abrigo Lar Tia Socorro, Maria do Socorro Rodrigues.

SONORA: Diretora do Abrigo Lar Tia Socorro, Maria do Socorro Rodrigues.
 
“Pra mim adotar é amor, é ter o filho como sendo filho biológico mesmo, não é só adotar.A todas as pessoas que adotar, elas tem quer ter essa metodologia que é o amor, o amor vale por tudo” .
 
REPÓRTER: Neste final de semana, dias 25 e 26, a Coordenadoria Estadual de Infância e Juventude do Tribunal de Justiça do Pará  estará no Parque Shopping, em Belém, de dez da manhã às dez da noite para estimular a adesão da população ao programa “Conta Comigo”. O objetivo é o apadrinhamento de crianças e adolescentes acolhidas por abrigos institucionais. O primeiro passo para adoção é conhecer as crianças nos abrigos, como enfatiza o Juiz da 1° Vara da Infância e Juventude Alessandro Ozanan.
 
SONORA: Juiz  Alessandro Ozanan.
 
Então a possibilidade da sociedade estar se apoderando dessa situação das crianças acolhidas é estar visitando os abrigos através do programa do tribunal conta comigo de crianças e adolescentes, apadrinhamentos de crianças e adolescentes”.
 
REPÓRTER: Durante a programação haverá distribuição de folder com informações sobre as modalidades de apadrinhamento e sobre como aderir ao programa. O juiz Alessandro Ozanan ressalta que este é um momento importante para o judiciário.
 
SONORA: Juiz Alessandro Ozanan.
 
Esse é um momento assim muito importante para o judiciário em esta dando um olhar mais especial para estes procedimentos no sentindo de imprimir celeridade e também estar chamando a população a conhecer a realidade das crianças que se acham acolhidas institucionalmente”. 
 
REPÓRTER: Segundo dados da Coordenadoria Estadual da Infância e Juventude, existem em abrigos institucionais em Belém, Ananindeua e Marituba muitas crianças e adolescentes aptas ao apadrinhamento solidário. O programa prevê a possibilidade de mais de um apadrinhamento por criança e até a possibilidade de ajuda coletiva. 
 
Reportagem, Storni Jr. 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.