MATO GROSSO (MT): Canarana, Colniza e Feliz Natal estão com vacinação baixa contra HPV

Meninas entre 11 e 13 anos devem ir aos postos de saúde para tomar segunda dose da vacina contra HPV

Salvar imagem

REPÓRTER: O ministério da Saúde colocou no calendário de imunização de todo país a vacina contra o HPV, vírus que causa o câncer do colo do útero. Desde março de 2014, meninas de 11 a 13 anos estão sendo protegidas contra a doença. Até o momento, as cidades de Canarana, Colniza e Feliz Natal, não conseguiram alcançar a meta do ministério que é vacinar, no mínimo, 75 por cento das meninas com a segunda dose da vacina. Pesquisa feita pelo Instituto Nacional do Câncer indica um risco estimado de 25 casos de câncer do colo do útero para um grupo de 100 mil mulheres, somente aqui no estado do Mato Grosso. Em países como Austrália, Estados Unidos e França, por exemplo, onde a vacina é aplicada a mais tempo, o mesmo número de possíveis casos da doença é de no máximo quatro para 100 mil mulheres. A dona de casa, Sandra Maria, levou a filha, Iaskara Martins, para ser imunizada. Ela conta que a proteção da vacina vai alcançar também os netos.
 
SONORA: Sandra Maria, dona de casa
 
“A gente tá em um mundo de tantas doenças, de tanta sensibilidade aos vírus, né? E a nossa geração ela é uma geração mais fraca, então dá uma sensação de dever cumprido. Estou cuidando da minha filha e acredito que isso possa ajudar ela muito no futuro. E esta é a sensação boa, de saber que eu posso ter certeza de que ela está protegida, que meu neto vai estar protegido e até os meus bisnetos, né?”.
 
REPÓRTER: Notícias de que a vacina contra o HPV prejudica a saúde das adolescentes, tem dificultado a aplicação da segunda dose.  A coordenadora de Atenção Básica, da cidade de Canarana, Mariza de Quadros, explica que a vacina não causa efeitos colaterais. Ela lembra a importância do tratamento e alerta para a responsabilidade dos pais com a saúde das filhas.
 
SONORA: Mariza de Quadros, coordenadora de imunização
 
“A vacina ela é segura, o ministério da Saúde, o Organização Mundial da Saúde que avalia eles mesmos estão divulgando que a vacina é extremamente  segura, se os pais tiverem alguma dúvida, procurem as unidades de saúde mais próxima, não fique na duvida, não deixe de vacinar e de receber a orientação adequada.”
 
REPÓRTER: O secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, do ministério da Saúde, Jarbas Barbosa, afirma que a vacina é segura e eficaz para proteger a próxima geração de mulheres contra o câncer do colo do útero. Ele lembra que as doses seguem um padrão internacional de segurança e tranquiliza as famílias.
 
SONORA: secretário de Ciência Tecnologia e Insumos Estratégicos, do ministério da Saúde, Jarbas Barbosa
 
“A análise dessas mais de seis milhões de doses aplicadas até o momento demonstram claramente que a vacina no Brasil segue o padrão internacional de segurança sem nenhum tipo de evento adverso inesperado, desconhecido ou grave, que não possa ser explicado por outra causa ter sido observado em nosso país. Então a vacina é absolutamente segura, recomendada pela Organização Mundial de Saúde, e precisamos lembrar que, antes de ser oferecida gratuitamente pelo SUS, uma menina para se proteger contra o HPV,  a família tinha que gastar cerca de mil e 500 Reais." 
 
REPÓRTER: A vacina contra o HPV pode ser tomada em qualquer posto de saúde nas cidades Canarana, Colniza e Feliz Natal. As doses são de graça, basta levar o cartão de vacina ou a identidade da adolescente.
 
Reportagem, Rodrigo Santos

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.