MARANHÃO: Professores serão capacitados para mobilização contra Aedes aegypti no estado

SalvarSalvar imagem

REPÓRTER: O combate ao Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika vírus e febre chikungunya, vai ser reforçado em mais de mil escolas públicas do Maranhão. A mobilização da rede de ensino no estado teve início na última sexta-feira, durante ações do Dia Nacional de Mobilização da Educação contra o Zika. A ministra da Igualdade Racial e Direitos Humanos, Nilma Lino Gomes, o vice-governador Carlos Brandão, e a secretária de Educação, Áurea Prazeres, estiveram presentes na cerimônia de abertura, realizada na praça Sete Palmeiras, em São Luís. A partir de agora, na capital, a programação caminhadas próximas às escolas da rede pública estadual de ensino, com a participação de carros de som e distribuição de panfletos, além de visitação de casas para identificação de possíveis criadouros do mosquito Aedes aegypti. No estado do Maranhão, 1.300 escolas vão dar continuidade à campanha. A Secretaria de Estado da Saúde do Maranhão deve estender capacitação com os professores e diretores sobre o combate ao mosquito. A secretaria vai disponibilizar materiais educativos, como panfletos e cartazes. O ministro da Educação, Aluizio Mercadante, destaca a importância da conscientização do combate ao mosquito na rede de ensino do país.

 

SONORA:  Aloizio Mercadante, ministro da Educação

 

“Se você avaliar que nós somos 60 milhões de brasileiros e brasileiras organizados na educação, estudantes da rede pública e particular. A escola é um espaço de informação, de discurso de reflexão. Então o melhor espaço que o Brasil tem para mobilizar a sociedade brasileira dentro de suas casas, esses estudantes indo para dentro de suas residências, professores, servidores de educação, para combater o mosquito Aedes Aegypti. Por que mais de 2/3 dos casos estão dentro de casa, então é ali que nós temos quer ter uma fiscalização permanente. Então nós queremos fazer da escola o grande combate ao mosquito Aedes Aegypti para proteger as nossas crianças, a saúde pública do Brasil.”

 

REPÓRTER: Já o secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Antônio Nardi, reforça que, para combater o mosquito Aedes aegytpi, é preciso ficar atento aos recipientes que acumulam água.

 

SONORA: Antônio Nardi, secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde

 

“O mais efetivo nesse momento é a eliminação de todo e qualquer recipiente que posso juntar água parada e proliferar o mosquito Aede Aegypti. Não deixarem expostos copinhos, copos, garrafas, latas, tampas de garrafa. Verifiquem a vedação da caixa d’água, desemtupam as calhas.”

 

REPÓRTER: Além das escolas de ensino fundamental e médio, as universidades Federais, órgãos públicos federais, estaduais e municipais, Forças Armadas, entidades religiosas, organizações não governamentais e lideranças comunitárias também vão participar da campanha. Para saber mais sobre formas de prevenção e combate ao mosquito, e sobre dengue, chikungunya e zika vírus, acesse o site: combateaedes.saude.gov.br.

 

Com a colaboração de Karina Chagas, reportagem, Alexandre Souza

 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.