ITAITUBA (PA): MPF recomenda controle sanitário em área indígena no rio Tapajós

O Ministério Público Federal em Itaituba, sudoeste do Pará, enviou recomendação às organizações não governamentais, movimentos sociais e demais entidades da sociedade civil, para que sejam tomados os cuidados de caráter sanitário ao ingressar nos territórios dos índios Munduruku, no rio Tapajós. 

Salvar imagem

REPÓRTER: O Ministério Público Federal em Itaituba, sudoeste do Pará, enviou recomendação às organizações não governamentais, movimentos sociais e demais entidades da sociedade civil, para que sejam tomados os cuidados de caráter sanitário ao ingressar nos territórios dos índios Munduruku, no rio Tapajós. A movimentação no local vem crescendo pelo apoio que os índios recebem na luta contra a instalação de hidrelétricas na região. Na recomendação, o Ministério Público Federal reconhece o importante papel dos movimentos na luta pelo respeito aos direitos indígenas, mas pede medidas mínimas, como apresentação de cartão de vacinação e atestado médico antes da entrada na área indígena. O MPF também mencionou o recente surto de gripe H1N1 nas aldeias do Xingu, que contaminou mais de 140 pessoas e causou oito mortes. Os indígenas estão entre os grupos considerados pelo Ministério da Saúde como imunologicamente mais vulneráveis ao contágio do H1N1 e outras doenças. A recomendação também foi enviada à Fundação Nacional do Índio (Funai) e ao Distrito Sanitário Especial Indígena do Tapajós.

 
Com informações do Ministério Público Federal no Pará, reportagem Thamyres Nicolau

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.