HPV: Palmas, Araguaína, Gurupi e Porto Nacional ampliam vacinação contra vírus

SalvarSalvar imagem

LOC: As equipes de saúde das quatro maiores cidades tocantinenses estão mobilizadas para aplicar a segunda dose da vacina contra o Papiloma Vírus Humano, HPV, em meninas com idades entre 9 e 11 anos. Nessas localidades, a expectativa é superar as taxas alcançadas na primeira etapa da ação e bater a meta do Ministério da Saúde, que é de vacinar 80% do público-alvo. Em Palmas, apenas 58 por cento das jovens da faixa etária receberam a primeira dose da vacina, segundo dados do Ministério. O vírus HPV é o principal causador do câncer do colo do útero, doença que mata mais de cinco mil mulheres por ano no país, segundo o Instituto Nacional do Câncer, o INCA. Por isso, é fundamental que as meninas que tomaram a primeira dose da vacina voltem aos postos de saúde para tomar a segunda. A enfermeira Juliana Araújo de Souza, da coordenação municipal de Imunização de Palmas, explica que, as duas doses da vacina estão disponíveis em todos os postos de saúde da capital.

 

TEC: enfermeira da Coordenação Municipal de Imunização de Palmas, Juliana Araújo de Souza.

 

“A vacina contra o HPV é uma estratégia importante para a prevenção de uma doença grave que é o câncer de colo de útero. O HPV é responsável por cerca de 70% de casos dessa doença, que é uma doença grave que pode levar à morte. Então a vacinação é a melhor forma de prevenção e ela está disponível em todas as unidades de saúde para as meninas que estão dentro da faixa etária preconizada. É importante que os pais orientem as suas filhas com relação a importância da vacinação e acompanhem elas até a unidade de saúde para receber a vacina”.

 

LOC: Assim como Palmas, Araguaína – o segundo município mais populoso do estado – também pretende ultrapassar, nesta fase, a taxa de 59 por cento registrada na primeira etapa da mobilização. Já o município de Porto Nacional  protegeu apenas 27 por cento das meninas, na primeira etapa, e também precisa melhorar os números da vacinação. A diretora da Vigilância Epidemiológica e Sanitária do município, Bruna Mirelly, revela que os agentes de saúde vão vacinar as meninas nas escolas para garantir que todas sejam protegidas.

 

TEC: diretora da Vigilância Epidemiológica e Sanitária de Porto Nacional, Bruna Mirelly

 

“A estratégia nossa é vaciná-las no ambiente escolar. Por quê? Para que não haja evasão, mas só que, se essas meninas quiserem ser vacinadas e as mães puderem levá-las, as unidades, todas as unidades têm a vacina e estão já prontamente prontas para atendê-las”.

 

LOC: O terceiro maior município tocantinense, Gurupi, também está com a vacinação contra o HPV baixa. As equipes de saúde do município aplicaram a primeira dose em 44 por cento das meninas. A coordenadora de Imunização do município, Lana Querino, conta que a cidade também vai levar a vacina para dentro das escolas.

 

TEC: coordenadora de Imunização de Gurupi, Lana Querino.

 

“A primeira dose no ano passado a gente teve um bom resultado porque a gente foi nas escolas. Ai já a segunda dose que deixou pro mês de setembro, porque segundo o ministério da saúde, poderia estar indo nas unidades, não precisaria estar indo exclusivamente nas escolas, a gente orientou os pais para ir nas unidades de saúde, só que muitos não retornaram para estar fazendo a segunda dose. Este ano a gente fez diferente. Foi no mês de março na unidade de saúde para estar fazendo a primeira dose e agora em setembro a gente já iniciou nas escolas, no final de setembro”.

 

 

LOC: A vacina contra o HPV é disponibilizada gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde do SUS ou em escolas parceiras. Ela foi introduzida no calendário nacional de vacinação no ano passado para atender meninas de 11 a 13 anos de idade. Este ano, o Ministério da Saúde está priorizando a vacinação de crianças e adolescentes de 9 a 11 anos. As meninas e adolescentes com 12 e 13 anos, que ainda não tomaram a primeira ou a segunda dose, também devem procurar as unidades de saúde para atualizarem o cartão de vacinação. A criança ou a adolescente deve tomar três doses para completar a proteção. Obtenha mais informações sobre a vacina contra o câncer do colo do útero e o HPV em uma unidade de saúde mais próxima de sua casa e no portal do Ministério da Saúde na Internet, www.saude.gov.br/hpv.



Receba nossos conteúdos em primeira mão.