ESPORTE: Lei de Incentivo fomenta projeto que ensina canoagem a jovens carentes de Caxias do Sul

SalvarSalvar imagem

REPÓRTER: Luana tem apenas 11 anos, mas já acumula um currículo de fazer inveja em muita gente grande, com duas medalhas na categoria mirim do Campeonato Gaúcho de Canoagem Velocidade, realizado em maio, na cidade de Teotônia. A pequena atleta levou o ouro na prova de K1 de 500 metros e a prata no K1 de 200 metros.
 
Luana e outras 300 crianças e adolescentes participam, em Caxias do Sul, do Projeto de Educação pelo Esporte Remadas Solidárias, que ensina canoagem no contraturno escolar.  Durante dois dias da semana, Luana chega à sede do projeto a uma e meia da tarde e só sai às cinco horas. A maior incentivadora da atleta é a mãe, Michele Mendes. Para ela, o projeto é uma contribuição importante para o futuro da filha.
 
SONORA: Michele Mendes, mãe de Luana Mendes, atleta de canoagem
“O Remadas foi o encontro de um futuro para nossa filha, em que a gente sabe que tem pessoas que apoiam o esporte, que sabem da importância que tem no dia a dia para educação, para que, no futuro, eles possam ter outra oportunidade de vida”.
 
REPÓRTER: O professor e coordenador do Remadas Solidárias, Álvaro Koslowski, informa que 75% dos recursos que sustentam a ação veem da Lei Incentivo ao Esporte. A legislação permite que empresas e pessoas físicas invistam parte do que pagariam no Imposto de Renda em projetos aprovados pelo Ministério do Esporte. Segundo Koslowski, o incentivo é essencial para a sobrevida do projeto.  
 
SONORA: Álvaro Koslowski, coordenador do Remadas Solidárias
“A lei é fundamental para nós. Essa parceria com o Ministério do Esporte se torna fundamental para que a gente possa fazer esses atendimentos”.
 
REPÓRTER: O projeto atende, preferencialmente, escolas públicas. O coordenador Álvaro Koslowski, conta que os resultados têm se mostrado positivos.
 
SONORA: Álvaro Koslowski, coordenador do Remadas Solidárias
“Os indicadores são: Ideb, rendimento escolar, a frequência e as relações dos alunos com a escola, com os pais e conosco. Dentro do Remadas Solidárias, a gente tem percebido que, em todos os indicadores que eu mencionei anteriormente, nós temos consideráveis resultados positivos, inclusive, com pareceres das escolas para melhorar a qualidade de ensino oferecido por elas”.
 
REPÓRTER: Para participar do Remadas Solidárias, o aluno deve estar regularmente matriculado e frequentando aulas. Além das instruções de canoagem, eles recebem uniforme, lanche e transporte.
 
Reportagem, Michelle Abílio

Receba nossos conteúdos em primeira mão.