EDUCAÇÃO: Brasil fica entre os 10 piores países do mundo em ranking de rendimento escolar

Mesmo com o mau resultado, o país reduziu a quantidade de alunos com baixo rendimento no período entre 2003 e 2012

SalvarSalvar imagem

ÚLTIMAS SOBRE EDUCAÇÃO


REPÓRTER: O Brasil tem um dos piores desempenhos escolares do mundo, de acordo com um relatório divulgado pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico, a OCDE. De acordo com o levantamento feito em 64 países e territórios, os alunos brasileiros têm rendimento escolar baixíssimo em matemática, leitura e ciência. O país ficou entre os 10 piores do ranking. De acordo com José Ferreira de Castro, vice-presidente da Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino, a Confenen, os resultados ruins podem ser explicados, principalmente, por três fatores: políticas de governo, corporativismo sindical e despreparo profissional por parte dos professores.
 
SONORA: José Ferreira de Castro, vice-presidente da Confenen
 
“Nós temos primeiro, políticas de governo sem compromisso com a qualidade da educação, porque a preocupação predominante é a estatística e o voto. A outra coisa é o corporativismo sindical que a tendência é impor apenas direitos sem deveres. Ora, qual é a instituição nesse mundo, que vive, pode viver, só em função de direito? Não existe isso. O terceiro ponto é a questão do despreparo profissional. As entidades responsáveis pela formação dos profissionais de educação, nem as disciplinas básicas que deveriam constar no currículo de formação de professores, muitas vezes não existem. Então, que profissional nós vamos formar para fazer um trabalho de educação com seriedade e com qualidade.”
 
REPÓRTER: Mesmo também sendo avaliadas na pesquisa, as escolas particulares apresentam, em sua maioria, melhores resultados do que as escolas da rede pública. De acordo com Samuel Lara, presidente da Câmara de Educação Básica, da Confenen, isso acontece, porque as escolas da rede privada exigem dos alunos resultados individuais que confirmem a compreensão do aprendizado.
 
SONORA: presidente da Câmara de Educação Básica, da Confenen, Samuel Lara
 
“Na escola particular, o resultado é melhor, devido ao processo de levar ao aluno a plena concepção de resultados que confirmem o aprendizado. Por isso, também observa-se o desempenho melhor desses alunos nas avaliações externas. A rede privada tem conseguido resultados melhores de seus alunos para a progressão ao ensino superior.”
 
REPÓRTER: Mesmo com o mau resultado, o relatório indicou que o Brasil reduziu a quantidade de alunos com baixo rendimento no período entre 2003 e 2012. A OCDE fez algumas recomendações para ampliar os resultados dos alunos brasileiros em matemática, ciências e leitura, como por exemplo, oferecer programas especiais para imigrantes e estudantes de áreas rurais. De acordo com a organização, o número de alunos com baixo rendimento é maior entre os que vivem na área rural.

 

Reportagem, João Paulo Machado

Receba nossos conteúdos em primeira mão.