DELFINÓPOLIS (MG): Único município do Sul de Minas com registros de Febre Amarela, Delfinópolis imuniza a população

Salvar imagem

LOC.: Antes concentrado nas áreas rurais das regiões do Vale do Rio Doce e Mucuri, o surto de febre amarela tem avançado para outras microrregiões, preocupado a população e as autoridades em Saúde do estado. Já existem registros da doença em Januária, no Norte do estado, e na região Sul, em Delfinópolis, onde foram diagnosticados quatro casos da doença, com três mortes confirmadas. De acordo com a secretaria municipal de Saúde, o município já recebeu uma grande quantidade de vacinas para realizar a imunização da população. Na cidade, existem três postos de saúde. Um na área urbana e outros dois na zona rural, nos distritos de Olhos D'água da Canastra e Babilônia. Juntos, eles atendem uma população que gira em torno de três mil e quinhentas pessoas. O ministro da Saúde, Ricardo Barros, garante que não vão faltar doses da vacina para todos os municípios que precisarem. Ele pede aos moradores das áreas de risco que busquem a imunização nos postos de saúde.

TEC./SONORA: Ricardo Barros, ministro da Saúde.

“As equipes são qualificadas, a população pode ficar tranquila, procurar os postos de vacinação. As vacinas são guardadas em temperatura adequada. Cada unidade de saúde tem uma capacidade de armazenamento de vacina. Pode acontecer de três ou quatro horas da tarde, aquele estoque acabe, mas no outro dia terá um novo estoque. Não vamos ter problema de abastecimento. Nós não podemos é acondicionar a vacina de forma inadequada, porque senão vamos comprometer essa eficácia. Então está tudo absolutamente sob controle.”

LOC.: De acordo com o Ministério da Saúde, cerca e 5,5 milhões de doses extras foram disponibilizadas para todo o estado. Deste total, já foram distribuídas mais de dois milhões de doses da vacina contra a febre amarela para as áreas endêmicas do leste do Estado, como Governador Valadares, Diamantina, Manhumirim, Teófilo Otoni e Coronel Fabriciano. As demais doses da vacina foram distribuídas para as demais regionais de Saúde de Minas Gerais, incluindo os municípios do sul do estado. E não custa lembrar que a vacina é segura, mas é preciso estar atento às contraindicações para as crianças menores de seis meses, mulheres grávidas e que amamentam, pessoas com problemas de imunodeficiências, alérgicas ao ovo de galinha e restrições aos idosos acima de 60 anos.O Ministério da Saúde orienta duas doses da vacina para se proteger da febre amarela por toda a vida. Se o paciente já tomou as duas doses, não há necessidade de tomar a terceira. Para mais informações, acesse www.saude.gov.br. Ministério da Saúde, Governo Federal.



 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.