CRISTALINA (GO): Meninas de 11 a 13 anos de idade devem tomar a segunda dose contra o HPV. Procura no município está baixa

Em Cristalina, cidade a 280 quilômetros de Goiânia, a distribuição da segunda dose da vacina contra o HPV, vírus causador do câncer do colo do útero, não foi satisfatória

SalvarSalvar imagem

REPÓRTER: O câncer do colo do útero é o terceiro tumor mais frequente na população feminina brasileira segundo o Instituto Nacional do Câncer, que estima mais de 15 mil novos casos da doença para o próximo ano. Só no estado de Goiás, o Instituto prevê aproximadamente 630 novos casos em 2015. A doença, que pode ser prevenida com apenas uma vacina, é a quarta principal causa de morte entre mulheres no Brasil. Em Cristalina, cidade a 280 quilômetros de Goiânia, a distribuição da segunda dose da vacina contra o HPV, vírus causador do câncer do colo do útero, não foi satisfatória. O município chegou a registrar média de dois a três por cento na procura pela vacina entre meninas de 11 a 14 anos de idade. A meta de imunização estipulada pelo Ministério da Saúde é de 75 por cento. A coordenadora da vigilância epidemiológica de Cristalina, Neusa de Souza Reis Bacelar explica que a ausência das adolescentes nos postos de saúde para a vacinação, se dá pela cultura dos pais. Segundo ela, muitos pais têm relacionado a vacinação com o inicio da vida sexual.
 
SONORA: Coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Neusa de Souza Reis Bacelar
 
“Um dos problemas que nós estamos enfrentando é que certos pais devido ao sistema que foram criados, rígidos têm essa dificuldade em querer deixar que as suas filhas tomem essa vacina. O certo é tomar justamente antes de iniciar a fase sexual, para que a hora que chegar o momento exato dessa fase sexual essas adolescentes já estejam imunizadas. Então, a gente tenta passar para os pais que esse é o objetivo e não quer dizer que esteja incentivando a sexualidade da adolescente.”
 
REPÓRTER: O secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde Jarbas Barbosa, ressalta que é grande o número de vitimas de câncer do colo do útero no Brasil. Segundo ele, a vacina contra o HPV é a oportunidade de formar uma geração livre da doença.
 
SONORA: Secrtetário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde Jarbas Barbosa
 
 “As famílias precisam lembrar que em 2014 assim como em 2015 apesar de todos os avanços que nós tivemos no Sistema Único de Saúde na redução da mortalidade por câncer do colo de útero 14 mulheres vão morrer por dia de câncer de colo de útero. Essa geração que está sendo vacinada contra o HPV pode ser a primeira geração livre de mortes por câncer de colo do útero. Por isso as famílias não podem perder essa oportunidade e não devem dar ouvidos a boatos de redes sociais, a boatos que não tem nem comprovação no Brasil e nem em qualquer lugar do mundo.”
 
REPÓRTER: A aplicação da segunda dose contra o HPV começou em setembro de 2014. Quem ainda não se imunizou deve procurar o posto de saúde mais próximo de casa com o cartão de vacina. A vacinação este ano está disponível para adolescentes de 11 a 13 anos. A partir de 2015 a faixa etária deve aumentar para nove a 16 anos de idade.
 
Reportagem, Henrique Carmo 
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.