CIDADANIA: Mais de 14 mil ribeirinhos atendidos pelo Judiciário

O projeto “Ribeirinho Cidadão”, que leva os serviços do Judiciário para regiões de difícil acesso no Pará, apresentou números satisfatórios. Ao todo, 14.365 atendimentos foram realizados, entre casamentos, audiências de conciliação, orientação jurídica e emissão de documentos.

SalvarSalvar imagem

Tempo do áudio - 1min14seg

REPÓRTER: O projeto "Ribeirinho Cidadão", que leva os serviços do Judiciário para regiões de difícil acesso no Pará, apresentou números satisfatórios. Ao todo, 14.365 atendimentos foram realizados, entre casamentos, audiências de conciliação, orientação jurídica e emissão de documentos. O coordenador do projeto "Ribeirinho Cidadão", juiz Márcio Bittencourt, comenta que o resultado foi positivo.

TEC/SONORA: Coordenador do projeto "Ribeirinho Cidadão", juiz Márcio Bittencourt.

 "Acreditamos que superamos todas as expectativas, que cada caso solucionado é uma forma de desenvolver e melhorar tanto para aquela família, quanto para aquela comunidade, aquele território que foi atendido e o Tribunal de Justiça, exatamente, foi aonde as pessoas que mais precisam estão. E a coordenadoria dos Juizados Especiais conseguiu executar o projeto e levou a Justiça, por meio do projeto "Ribeirinho Cidadão", em locais, em ilhas, comunidades, que muito precisavam da presença do Poder Judiciário, inclusive, no tocante a situações de violações de direitos".

LOC/REPÓRTER: O projeto "Ribeirinho Cidadão" atendeu aldeias indígenas e comunidades das Ilhas do Combu, de Cotijuba e Outeiro.

Reportagem, Thamyres Nicolau

Receba nossos conteúdos em primeira mão.