CEARÁ: 283 mil meninas entre 9 a 11 anos devem tomar segunda dose da vacina contra HPV

SalvarSalvar imagem

TEC: Trilha (BG).
 
LOC: As Unidades Básicas de Saúde do SUS e escolas cearenses estão na segunda fase da mobilização contra o Papiloma Vírus Humano, o HPV, uma das principais causas do câncer do colo do útero em mulheres. A expectativa do Ministério da Saúde, da secretaria estadual e das secretarias municipais de saúde é que mais de 238 mil meninas com idades entre 9 e 11 anos recebam a segunda dose da vacina no estado. A intenção do governo é melhorar os índices de vacinação registrados na primeira etapa da campanha, iniciada em março deste ano, quando 61% das jovens dessa faixa tomaram a primeira dose, como informa acoordenadora de imunização da Secretaria de Saúde do Ceará, Ana Vilma Leite. A gestora acredita que o baixo índice de vacinação se deu pela difusão de informações que considera erradas sobre a vacina. Ana Vilma alerta que é uma imunização segura e de extrema importância para prevenir o câncer de colo de útero.
 
TEC: Ana Vilma Leite, coordenadora de imunização da Secretaria de Saúde do Ceará.
 
“É fundamental para que nós possamos estar reduzindo ao longo dos anos a incidência de câncer que hoje mata muitas mulheres e a partir do momento que o Ministério da Saúde introduziu essa vacina, nós vamos estar vendo o impacto que essa vacina vai causar em relação a redução dessa doença em nosso país.”
 
TEC: Trilha Sobe e Desce (BG).
 
LOC: Segundo dados do Ministério da Saúde, metade dos 184 municípios cearenses registraram índices de vacinação entre 50% e 80% de garotas vacinadas na primeira etapa da mobilização. Mas, em alguns municípios, as taxas são inferiores a 50%. É o caso da capital Fortaleza e dos municípios de Tamboril, Ipu e Graça, na região oeste, e de Aiuaba, Cariús e Crato, no sul do estado. A dona de casa fortalezense Érica Silva dos Santos levou a filha Vitória no posto de saúde para tomar as duas doses da vacina e garante que ela vai tomar a última dose também. Ela explica o que a motivou a vacinar sua filha.
 
TEC: Érica Silva dos Santos, mãe.
 
“Tem muitas vacinas que a gente não pode pagar que seria interessante tomar, o governo tá fazendo uma campanha, tem uma vacina, de graça e a pessoa não vai tomar? Tem mais é que tomar pra evitar doenças. A gente não teve oportunidade, já que nossos filhos estão tendo, a gente tem mais é que levar, se pode viver melhor e sem doença, tem mesmo é que tomar a vacina.”
 
TEC: Trilha Sobe e Desce (BG).
 
LOC: Vitória agora já tem 14 anos e dá um recado para as meninas tomarem também a vacina.
 
TEC: Vitória, estudante.
 
“Meninas, vocês têm que tomar a vacina porque é muito importante para a saúde e te previne de doenças no futuro.”
 
LOC: De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer, Inca, nos últimos dez anos, mais de quatro mil morreram de câncer do colo do útero na região Norte. No Acre, de cada 100 mil mulheres, 12 podem contrair doença. A vacina contra o HPV é disponibilizada gratuitamente nas Unidades Básicas de Saúde do SUS ou em escolas parceiras. Ela foi introduzida no calendário nacional de vacinação no ano passado para atender meninas de 11 a 13 anos de idade. Este ano, o Ministério da Saúde está priorizando a vacinação de crianças e adolescentes de 9 a 11 anos. As meninas e adolescentes com 12 e 13 anos, que ainda não tomaram a primeira ou a segunda dose, também devem procurar as unidades de saúde para atualizarem o cartão de vacinação. A criança ou a adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção. Quem recebeu a primeira dose deve receber agora a segunda dose, administrada seis meses depois da primeira, e a terceira, cinco anos após a primeira dose. A meta do Ministério da saúde é de que até o final do ano, 80% das meninas com idade entre 9 e 11 estejam vacinadas. Se você é mãe, pai ou responsável por menina nesta idade, leve-a a uma Unidade de Saúde e leve junto o cartão de vacinação. A vacina é o único meio de garantir a proteção contra o HPV pelo resto da vida. Obtenha mais informações sobre a vacina contra o câncer do colo do útero e o HPV em uma unidade de saúde mais próxima de sua casa e no portal do Ministério da Saúde na Internet, www.saude.gov.br/hpv.

 


TEC: Encerra trilha (BG).

Receba nossos conteúdos em primeira mão.