BRASIL: CAS examina projeto de qualificação profissional para adolescentes em abrigos

A proposta estabelece a idade de 14 anos para o início da qualificação

 

Salvar imagem

LOC.: A Comissão de Assuntos Sociais analisa uma proposta que garante qualificação profissional para adolescentes que vivem em abrigos. O texto, de autoria do senador Ciro Nogueira, do PP do Piauí, altera a lei que criou o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial e o Pronatec para garantir que os jovens em regime de acolhimento institucional tenham vagas prioritárias nos programas e desfrutem de cotas no programa Jovem Aprendiz. Segundo ele, a proposta estabelece a idade de 14 anos para o início da qualificação.

TEC./SONORA: Ciro Nogueira, senador (PP-PI).

"A nossa proposta estabelece que, a partir dos 14 anos, o jovem já pode começar a se preparar, porque esta é a idade mínima exigida nos cursos profissionalizantes do Senac que oferece para o Jovem Aprendiz. Eu acredito que até completar os 18 anos, o adolescente terá bastante tempo para se qualificar e ter mais condições de competir no mercado de trabalho."

LOC.: Hoje em dia, aproximadamente 40 mil crianças e adolescentes moram em abrigos em todo Brasil. Os jovens, normalmente, são vítimas de violência, negligência e abandono, sendo que alguns são órfãos. O projeto aguarda designação de relator na Comissão de Assuntos Sociais do Senado.

Reportagem, Cintia Moreira
 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.