BRASIL: Acordo pretende criar o primeiro laboratório para as cidades inteligentes

Salvar imagem

LOC.: A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, a ABDI e o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia, o Inmetro, firmaram, nesta semana, um acordo de cooperação técnica para criar o primeiro laboratório para pesquisas, testes e certificação de tecnologias a serem aplicadas nas chamadas cidades inteligentes. Quem dá mais detalhes do que é smart cities ou cidades inteligentes é o presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial, Guto Ferreira.

TEC./SONORA: Guto Ferreira, presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial.

“Smart cities ou cidades inteligentes é um conceito que torna a cidade menor, mais conectada, mais acessível ao cidadão, que você tem uma geração de dados que melhore a capacidade do poder público em atender este cidadão.”

LOC.: Esta é a primeira atitude efetiva, que sai da teoria e vai diretamente ao encontro com a prática, no que se refere a criação da cidade inteligente. O presidente da ABDI, Guto Ferreira, conta que o ponto de partida vai ser criar um poste de iluminação pública, com vários serviços e tecnologias.

TEC./SONORA: Guto Ferreira, presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial.

“É um poste que vai ter fribra ótica, um led de alta qualidade, ele vai ser um poste com wi-fi, com câmeras de segurança e com interligação de dados entre os postes que estiverem conectados. Então o Inmetro vai usar todo o seu campo de testes e seus pesquisadores do Rio de Janeiro, no campo de testes de Xerém e a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial vai entrar com o recurso.”

LOC.: Outra atividade possível seria o controle de serviços urbanos, como luz, água, gás, saneamento de forma inteligente e unificada. O acordo de cooperação técnica para a criação do Ambiente de Demonstração de Tecnologias para Cidades Inteligentes vai ser desenvolvido em um período de dois anos e vai contar com um investimento inicial de R$2,5 milhões.

Reportagem, Cintia Moreira

 

 

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.