BAHIA: Municípios montam estratégias de vacinação contra febre amarela

SalvarSalvar imagem

LOC.: As regiões oeste, sudoeste e extremo-sul da Bahia estão em alerta para febre amarela. Segundo a secretaria de Saúde, não há nenhum caso confirmado no estado. Mas a preocupação é o possível surgimento de casos da doença com origem no próprio território. Para prevenir essa situação, as autoridades de saúde têm reforçado a vacina e estratégias de prevenção e controle da doença em 67 municípios dessas regiões.Quarenta e cinco deles estão localizados na área de risco permanente para transmissão da febre amarela silvestre, segundo o governo estadual.

São eles: Angical, Baianópolis, Barra, Barreiras, Bom Jesus da Lapa, Brejolândia, Buritirama, Campo Alegre de Lourdes, Canápolis, Carinhanha, Casa Nova, Catolândia, Cocos, Coribe, Correntina, Cotegipe, Cristópolis, Feira da Mata, Formosa do Rio Preto, Ibotirama, Itaguaçu da Bahia, Iuiú, Jaborandi, Luís Eduardo Magalhães, Malhada, Mansidão, Morpará, Muquém de São Francisco, Paratinga, Pilão Arcado, Remanso, Riachão das Neves, Santa Maria da Vitória, Santa Rita de Cássia, Santana, São Desidério, São Félix do Coribe, Sento Sé, Serra do Ramalho, Serra Dourada, Sítio do Mato, Sobradinho, Tabocas do Brejo Velho, Wanderley e Xique-Xique.

Os demais 22 apresentam, de acordo com a secretaria de saúde, grande circulação de pessoas vindas de Minas Gerais, seja em viagens turísticas ou de negócios. É o caso de Alcobaça, Belmonte, Caravelas, Eunápolis, Guaratinga, Ibirapuã, Itabela, Itagimirim, Itamaraju, Itanhém, Itapebi, Jucuruçu, Lajedão, Medeiros Neto, Mucuri, Nova Viçosa, Porto Seguro, Prado, Santa Cruz de Cabrália, Teixeira de Freitas, Vereda e Vitória da Conquista.

Em cada uma das cidades, as secretarias municipais de saúde possuem um método de vacinação. É o que explica a Superintendente de Proteção da Saúde, Ita de Cássia.


TEC./SONORA: Ita de Cássia, Superintendente de Proteção da Saúde.

“Cada município desses, montou a sua estratégia. Vacinação pelas unidades básicas de saúde na zona rural, que é a população prioritária. Quem está na mata por conta do risco da contração da febre, já que nós temos o Haemagogus nessas áreas. E nas cidades, a vacinação está normal. O posto fica aberto no horário normal.”

LOC.: Então, o morador que reside ou vai viajar para regiões silvestres, procure informações sobre o esquema de vacinação em sua cidade. Para que ocorra uma melhor cobertura de vacinação nos municípios, é necessário que a população esteja com o cartão de vacinas em dia. O ministro da saúde, Ricardo Barros ressalta que há doses de imunização suficiente para todos.

TEC./SONORA: Ricardo Barros, Ministro da Saúde.

“A população deve procurar os postos de vacinação. As vacinas já estão disponíveis e nós esperamos contar, de fato, com a mobilização da população. A situação é de alerta que está sob controle, temos as vacinas para distribuir, temos as equipes treinadas e a população pode ficar tranquila, ela tem estrutura para ser assistida nesse momento.”

LOC: O Ministério da Saúde ressalta que pessoas que já tomaram duas doses da vacina ao longo da vida, não precisam receber uma terceira dose, pois são consideradas imunizadas. Quem perdeu o cartão de vacinação deve procurar o serviço de saúde que costuma frequentar e tentar resgatar o histórico. Vale destacar que o estado de saúde deve ser informado ao profissional, para que seja possível avaliar se há contraindicação. Para mais informações, acesse www.saude.gov.br. 
 

Receba nossos conteúdos em primeira mão.