ALEPA: Testemunhas negam prestação de serviços ao órgão

REPÓRTER: A Justiça Criminal do Estado do Pará começou a ouvir testemunhas de um dos processos que apura desvio de dinheiro público dos cofres da Assembleia Legislativa do Pará. Nos processos, os valores são na ordem de 8 milhões de reais desviados entre os anos de 2005 a 2006. 

Salvar imagem

REPÓRTER: A Justiça Criminal do Estado do Pará começou a ouvir testemunhas de um dos processos que apura desvio de dinheiro público dos cofres da Assembleia Legislativa do Pará. Nos processos, os valores são na ordem de 8 milhões de reais desviados entre os anos de 2005 a 2006. Na denúncia assinada pelos promotores integrantes do Ministério Público do Estado, Arnaldo Azevedo e Milton Luiz Menezes, os servidores da Casa Legislativa usaram dados de empresas para montar processos licitatórios para dar legalidade aos atos ilícitos.Respondem por crime de peculato, fraude em licitação e formação de quadrilha Sérgio Duboc, Daura Hage, Rosana Barletta de Castro, José Carlos Rodrigues de Sousa, Josimar Pereira Gomes, Sandro Matos.  Na audiência realizada compareceram as testemunhas de acusação que negaram a prestação de serviços por parte das empresas entre os anos 2005 a 2006 e não confirmaram as assinaturas constantes nos documentos encontrados nas Buscas e Apreensões durante as investigações. Na próxima segunda-feira, dia 8, a justiça vai ouvir os depoimentos das testemunhas de defesa. 
https://ssl.gstatic.com/ui/v1/icons/mail/images/cleardot.gif
 
Com informações da Coordenadoria de Imprensa do Tribunal de Justiça do Estado do Pará, reportagem Marcela Coelho 

 

 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.