ALAGOAS: Estado está em situação crítica para estoques de sangue

Tipos negativos são os mais afetados

Salvar imagem

LOC.: Uma doença diagnosticada com um ano de idade fez com que Sidnei Santos, psicólogo de 33 anos, e morador do bairro de Antarem, em Maceió, descobrisse desde cedo a importância das doações de sangue. Portador de anemia falciforme, uma doença em que os glóbulos se rompem mais facilmente causando anemia, Sidnei realiza transfusões com frequência. Atualmente ele necessita de uma transfusão por mês. Apesar de ter o tipo O positivo, considerado como o mais fácil de achar, o psicólogo revela que não é fácil de ter o sangue necessário com a regularidade que precisa.
 
TEC./SONORA: Sidnei Santos, psicólogo.
 
“Já passei até dois, três meses tendo que adiar a transfusão por falta do sangue. E é sempre uma batalha, sempre que precisamos do sangue. Nós não podemos comprar o sangue, ninguém pode comprar, somos dependentes do ato de voluntariado do próximo, um gesto de amor, de cidadania, que nem sempre conseguimos.”
 
LOC.: A situação de falta de sangue é um problema sério em Alagoas. De acordo com a coordenadora da Hemorrede estadual, Verônica Lima Guedes, a situação dos estoques de sangue é crítica. Segundo a coordenadora, a questão é ainda mais delicada para os tipos sanguíneos negativos. A aproximação do período de festas de São João no estado preocupa ainda mais. Verônica destaca que a tendência nessa época é de aumento da necessidade de sangue. No entanto, o número de doações cai muito. Ela orienta as pessoas que pretendem fazer doações. 
 
TEC./SONORA: Verônica Lima Guedes, coordenadora da Hemorrede.
 
“Em primeiro lugar a pessoa tem que querer ser solidária, querer salvar vidas. Essa pessoa deve estar saudável. Porque se ela estiver com algum problema de saúde ela não deve doar sangue. A pessoa não deve procurar o Hemocentro para fazer exames, ela deve buscar as unidades de saúde nesse caso. E colocar esse hábito de vida saudável, que é a doação de sangue, pelo menos uma vez ou duas no calendário anual.“
 

 

LOC.: A coordenadora Verônica Lima lembra que, qualquer dúvida ou outros esclarecimentos, a pessoa pode ligar para 3315.2103. Anote o número do telefone: 3315.2103 – 3315.2103. Por meio desse número – 3315.2103 a pessoa se informa sobre os pré-requisitos necessários para doar sangue, além de saber onde esta localizada a unidade de coleta mais próxima. Doe sangue regularmente e ajude a quem precisa. Para saber mais sobre doação de sangue, acesse saude.gov.br/doesangue. Ministério da Saúde, Governo Federal. 

Continue Lendo



Receba nossos conteúdos em primeira mão.