Foto: Divulgação/Brasil Mineral
Foto: Divulgação/Brasil Mineral

Membros contribuíram com US$ 54,9 bi em impostos e royalties

Desde 2013, os membros do ICMM reportaram US$ 271,3 mil bilhões em pagamentos totais de IRC e royalties

Salvar imagem

O Conselho Internacional de Mineração e Metais (ICMM) publicou relatório onde descreve a contribuição socioeconômica de seus membros para os países anfitriões, o que inclui a contribuição fiscal dos membros em 2022 e novos dados sobre o número de empregados diretos, salários e pagamentos relacionados, pagamentos a fornecedores e investimento comunitário e social.

No último ano, os membros do ICMM reportaram Imposto de Renda Corporativo (IRC) e royalties de US$ 54,9 bilhões, um aumento de 77,8% em relação a 2021. O montante engloba US$ 40,2 bilhões em IRPC, um aumento de 85,3% em relação a 2021 e US$ 14,7 bilhões em royalties pagos, um aumento de 60,2% em relação a 2021. Desde 2013, os membros do ICMM reportaram US$ 271,3 mil bilhões em pagamentos totais de IRC e royalties. Coletivamente, os membros relataram ter 561.900 funcionários diretos e pagar US$ 37,3 bilhões em salários e pagamentos relacionados. Os fornecedores, que muitas vezes incluem empresas locais, receberam US$ 166,2 bilhões e foram investidos US$ 1,5 bilhão nas comunidades.

“Desbloquear a riqueza dos nossos recursos naturais para o bem comum depende de ver o desenvolvimento mineral como um investimento de longo prazo e uma parceria entre a indústria, o governo e as suas comunidades anfitriãs, onde os benefícios são partilhados em todo o mundo. O ciclo de vida da mina, estendendo-se muito depois do fechamento da mina”, disse Rohitesh Dhawan, Presidente e CEO do ICMM. O executivo comentou também que para satisfazer a procura de minerais e metais críticos, será necessário o desenvolvimento de novas minas, mas desenvolvidas de acordo com este princípio. “A colaboração a longo prazo entre a indústria, os governos e a sociedade civil é essencial para encorajar um clima de investimento atraente, ao mesmo tempo que dá prioridade ao bem-estar social e económico das comunidades anfitriãs”.

Os dados divulgados neste relatório devem ser considerados no contexto de instabilidade geopolítica generalizada, flutuações económicas - incluindo taxas de juro crescentes, inflação e custos energéticos - e o impacto social e económico contínuo da COVID-19. Isto resultou num aumento da procura pelas mercadorias produzidas pelos nossos membros, levando a contribuições fiscais e de royalties significativamente mais elevadas em 2022 em comparação com anos anteriores. O relatório baseia-se na análise feita ao longo dos últimos dez anos, que ajudou a fornecer uma imagem das receitas pagas ao longo do ciclo de vida da mineração. O âmbito do relatório continuará a evoluir no futuro para alargar a nossa compreensão da contribuição social e económica da indústria.

Receba nossos conteúdos em primeira mão.