Cadastro de mídia

TERMO DE USO E PARCERIA

TERMO DE USO E PARCERIA

Regras de Uso

1º - A utilização gratuita e livre dos materiais produzidos pelo Brasil 61 só será permitida depois que este termo de parceria for aceito pelo usuário, prevendo as seguintes regras:

a) A utilização do material - na íntegra, ou em partes - só será permitida desde que as informações não sejam distorcidas, manipuladas ou alteradas.

b) Não é necessário a identificação do Brasil 61 na hora da replicação do conteúdo. Mas toda e qualquer veiculação de áudios produzidos pelo Brasil 61 prevê o cadastro no site, com a disponibilização de dados que serão utilizados para a organização do mailing desta empresa,

2º - OBRIGAÇÕES DO BRASIL 61

a) O Brasil 61 se compromete, a partir deste termo de uso, a produzir conteúdo particularizado diariamente, trazendo informações de dia-a-dia e bastidores do Planalto Central, além de outras temáticas de relevância do noticiário nacional. 

b) O acesso ao conteúdo jornalístico (na versão de leitura) é livre e gratuito, podendo ser replicado por qualquer usuário que acesse o site. O download do áudio para que seja utilizado na programação das rádios requer que o radialista realize o login no site da Agência do Rádio - informando e-mail e senha cadastrados. 

3º - OBRIGAÇÕES DOS COMUNICADORES PARCEIROS

Não alterar o sentido dos materiais, ou distorcer fala de entrevistados ou mudar a conotação das mensagens dos materiais. 

ADENDOS IMPORTANTES SOBRE A PARCERIA

a) O Brasil 61 poderá distribuir conteúdo patrocinado com ou sem assinatura dos clientes patrocinadores do boletim e sem aviso prévio ao comunicador. 

b) As rádios parceiras não vão ter participação financeira sobre o faturamento do Brasil 61.

c) Os comunicadores podem patrocinar os conteúdos do Brasil 61, desde que não alterem o sentido e a conotação dos conteúdos oferecidos. Nesses casos, o Brasil 61 Mais não terá participação nos lucros conquistados pelos veículos parceiros. 

Ao clicar em ACEITO, a emissora aqui cadastrada afirma concordar e estar ciente de todas as condições apresentadas neste Termo de Utilização de Conteúdo.

ENTRETENIMENTO: Mitos e verdades sobre o Hand Spinner, brinquedo que virou febre entre as crianças


LOC.: Muito se escuta sobre a nova febre do momento: um simples brinquedo chamado Fidget Spinner. Também conhecido como Hand Spinner, o brinquedo virou febre no mundo todo. A partir de um sistema interno com rolamento no centro, o Spinner não usa pilhas nem baterias e basta girá-lo nos dedos para funcionar. Mas, o que é verdade e o que é mito sobre esse brinquedo? Para tirar essas dúvidas, conversamos com a Dra Adriana Auzier Loureiro, que é pediatra e membro do Departamento Científico de Desenvolvimento e Comportamento da Sociedade Brasileira de Pediatria. Dra. Adriana, quais são os benefícios e malefícios do Hand Spinner?

TEC/SONORA: Adriana Auzier Loureiro, Pediatra, Membro do Departamento Científico de Desenvolvimento e Comportamento da Sociedade Brasileira de Pediatria.

“Os benefícios do Hand Spinner estão no fato de ser um brinquedo que pode ser usado de forma individual ou coletiva, promovendo a interação das crianças e reduzindo o tempo de tela. Ou seja, o tempo que as crianças ficam expostas a TV, laptop, tablet e celulares. Quanto aos malefícios, eles estão justamente no excesso de tempo gasto com o brinquedo. Pois todas as atividades que as crianças fazem devem ser supervisionadas por um adulto. Deve ser estipulado um tempo gasto para brincar, para estudar, praticar esporte, para evitar o exagero nessa atividade, ou seja, nessa brincadeira com este brinquedo da moda.”

LOC.: Dra. Adriana, muitas pessoas afirmam que essa febre relacionada ao brinquedo aconteceu por ele ser utilizado no tratamento do autismo e ajudar a reduzir o estresse, a ansiedade e outros tipos de transtornos psicológicos, como o déficit de atenção. Existe algum estúdio científico que comprove isso?

TEC/SONORA: Adriana Auzier Loureiro, Pediatra, Membro do Departamento Científico de Desenvolvimento e Comportamento da Sociedade Brasileira de Pediatria.

“Não há comprovação científica que o Hand Spinner aja de forma efetiva e objetiva como um objeto terapêutico. Para um tratamento do autismo e outros transtornos como o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, eles são tratamentos mais complexos, exigem uma equipe multidisciplinar, pediatra, neuropediatra, psicólogo, terapeuta ocupacional, fonoaudiólogo e não é um brinquedo que vai ajudar no tratamento, é uma série de profissionais, uma série de outras formas de se tratar, não é só o Hand Spinner que vai ajudar”.

LOC.: Podemos observar que as crianças têm levado o brinquedo para dentro de sala de aula, trazendo problemas para os professores e levando escolas a proibirem o uso durante o período escolar. Países como o Reino Unido, por exemplo, proibiram a comercialização do produto no seu território. Aqui no Brasil, o Inmetro certificou que o brinquedo não é indicado para menores de seis anos, pois alguns pais relataram que crianças estavam engolindo partes do objeto. Dra. Adriana, você acha esse brinquedo vai continuar sendo febre por muito tempo?

TEC.: “Tem se observado que tem gente que tem feito a troca. Dos jogos virtuais, da televisão, dos programas de televisão, dos vídeos, pelo Hand Spinner. Mas, o Hand Spinner é um brinquedo da moda, uma febre, as crianças estão buscando sempre novidades de forma rápida e assim como veio essa novidade, rapidamente eles perdem o interesse com esse brinquedo. Então a gente não sabe até que ponto eles realmente vão fazer essa troca até quanto tempo, porque sempre surge uma nova atividade um novo brinquedo e aí existe essa troca.”

LOC.: Muito obrigado, Dr. Adriana! E para os pais que ainda não sabem se é, ou não, uma boa ideia dar o Spinner para seus filhos brincarem, lembrem que a Dra. Adriana disse que não há nenhuma contra indicação ao brinquedo. Mas é claro que, por ser um produto regulamentado, é preciso estar atento ao selo do Inmetro e verificar se o produto está dentro dos padrões de segurança.

Reportagem, San Thor Oliveira

Continue Lendo





Receba nossos conteúdos em primeira mão.